Câmbio Automatico COM TRANCOS e desconforto - diagnostico

Anos atrás, as coisas eram bastante previsíveis; um vazamento de vedação causando um problema de patinação da embreagem ou um regulador ruim fazendo com que o veículo desenvolva problemas relacionados à mudanças COM TRANCOS. Em outras palavras, a abrangência de conhecimento para um diagnóstico acertivo atuamente deve ir muito além um código de avaria capturado por um escâner ou desmontar a transmissão em busca de peças estragadas. Desta forma o técnico não conseguirá ir além de reconhecer o efeito, no entanto a causa continuará oculta e fatalmente após trocadas as peças danificadas o defeito persistirá de imediato ou em tempo necessário para que as peças substituídas assumam a mesma condição das que foram trocadas e o problema retorna igual ou com maior intensidade.




Então, no início dos anos 1990, as coisas começaram a mudar. Os sistemas de controle eletrônico se tornaram populares. Você não só precisava entender a operação dos componentes de transmissão e sistemas de controle hidráulicos, mas atualmente deve-se dominar conhecimento de todas as operações do sistema. Os valores e condições são conjugados pelo sistema, portanto a malha de softwares do veículo e os componentes eletrônicos afetam a estratégia de diagnóstico. Quanto mais tempo estou neste setor, e já são 46 anos, mais me convenço de que o segredo para reparar problemas complexos é entender como o sistema foi projetado para operar e realizar experiências de observação, “feeling” e comprovação de resultados efetivamente duráveis e eficientes.


Com o passar dos anos, acompanhamos inúmeras mudanças da indústria automotiva. Muitas dessas mudanças tornaram o trabalho de diagnosticar muito mais complexo, uma vez que agora temos que entender o sistema como um todo e como conjuga as funções. Todo trem de força, estabilidade, segurança e conforto são totalmente integrados, não mais somente motor e cambio.


A tecnologia é bastante nova no campo da transmissão Automatica, seja qual for a configuração, quando falamos em modelos Mercedes Benz, BMW, Volvo ou Land Rover Diesel por exemplo, devemos ter o máximo de cuidado nas oportunidades em que enfrentamos defeitos relacionados a trancos em velocidades e condições de baixo esforço. As fabricas não publicam ou não tem boletins de engenharia a respeito do assunto, simplesmente porque a vocação das fabricas atualmente é “montar carros” e suas transmissões em geral são adquiridas de outros fabricantes. Portanto, seu foco é montagem e a venda de carros e pecas, não reparação. Todos sabemos que um carro com transmissão defeituosa, seja qual for o defeito, ao ser atendido no serviço autorizado a indicação e orçamento apontam para a troca completa do sistema.


A o deparar-se com problemas de funcionamento em seu cambio automático tenha em mente de que um diagnóstico apurado poderá lhe trazer algumas vantagens.



Posts Em Destaque