TROCA DO ÓLEO de cambio automatico. Quando e como fazer.

O que acontece se as trocas de óleo não ocorrerem no tempo adequado ?

Haverá a degradação e o envernizamento do fluido, descalibramento do sistema de controle hidráulico podendo ocorrer patinação de embreagens desgaste de buchas e válvulas da Caixa de válvulas de controle hidráulico.

A estratégia das trocas de marchas são perfeitamente calibradas eletronicamente para máxima eficiência e conforto das trocas de marcha conjugando o sistema de comando eletronicamente gerenciado ao funcionamento do sistema hidráulico por pressão controlada. Portanto, é impressindível a preservação dos materiais vedantes a fim de preservar o sistema trocando óleo a cada 4 anos.

Nesta imagem de um disco de aço do conjunto de embreagens é possível ver as manchas de envernizamento e carbonização por patinação das embreagens.

Qual é o intervalo de tempo para troca de óleo do Câmbio automático?


Geralmente, com mais de quatro anos de uso presume-se a degradação química do óleo. Por varias amostragens coletadas dos carros que executamos serviços, vimos que as condições em que encontramos as partes internas dos câmbios com tempo de uso acima de 4 anos sem troca de óleo apresentavam deformações nas superfícies dos anéis de vedação e aspecto visivelmente degradadas e enrijecidos, com suas dimensões contraídas, deformados, provocando vazamento de pressão hidráulica e consequentes efeitos de descalibração do sistema de controle hidráulico.


O que acontece quando o sistema de controle hidráulico perde a calibração ?

Poderão ocorrer os seguintes sintomas:

-Patinação,

-Relutância e tranco nas mudanças de marchas ascendentes ou descendentes,

-Inconsistências nas paradas ou partidas,

-Tempo de troca de marchas inadequados ou incorretos,

- Perda de tração definitiva ou esporádica ( Geralmente após ao inicio do uso do carro)


Porque limitar em 4 anos de tempo de uso do óleo

O fluído ATF é desenvolvido com uma gama de aditivos com propriedades de preservação dos componentes de borracha, buchas, coeficiente de fricão das embreagens, anti oxidantes, etc . Portanto, estando degradado, perde funções operacionais e deixará de preservar o sistema.


Quais são as consequências de PATINAÇÃO no cambio automático ?

A patinação de embreagem da origem a uma reação em cadeia. Consideramos que, ao patinar, as embreagens geram calor excessivo. A alta temperatura provoca envernizamento do fluído, desagregação dos aditivos que irão restringir a demanda nos filtros, carbonização da superfície de materiais de fricção e consequente liberação dedd contaminante material sólido carbonizado como um pó preto. Por consequência o fluído contaminado causa ainda o congestionamento de filtros, engripamento de válvulas eletrônicas e válvulas da caixa de controle hidráulico.


E se os sintomas já se manifestaram, adianta trocar óleo ?


Quando os sintomas já se manifestaram, eventualmente a troca de fluído poderá restabelecer o funcionamento desde que aplicando-se técnicas e procedimentos proprios. Com nosso sistema de aplicação de "FLUSHING" QUIMICO, executado com equipamento próprio, técnicas de procedimentos e produtos químicos específicos poderão restabelecer as condições adequadas de funcionamento. Este procedimento requer bastante conhecimento do funcionamento transmissão automática para que se consiga avaliar a possibilidade de alcançar resultado eficaz.


Em que consiste o tratamento com aplicação de Flushing Quimico?


Consiste em aplicação de produtos químicos importados para dissolver e remover vernizes das superfícies e retirados por processo de "Flushing" (preparação da transmissão para a troca de 100% do fluído) e ainda ao final do procedimento com a adição aditivos revitalizantes dos vedantes.

A PRADOMATIC é a poneira no uso desta técnica no Brasil, importamos o equipamento TRANSERV da Winn's em 1992 e desde então adotamos esta pratica na busca de restabelecimento do funcionamento das transmissões automáticas com os efeitos de degradação de oleo.


Posts Em Destaque